Arquivo

Archive for the ‘Europa’ Category

As maiores zebras das ultimas 5 Copas do Mundo

Toda Copa do Mundo tem uma zebra. Qual será a de 2010?

Copa de 1990 – Camarões de Roger Milla

A seleção de Camarões foi a grande sensação daquela Copa do Mundo. Venceu a então campeã do mundo Argentina na estréia (com um frango histórico de Nery Pumpido), e se classificou as oitavas de final após vencer a Romênia e perder para a União Soviética. Venceu a Colombia nas oitavas por 2 a 1 na prorrogação e nas quartas enfrentaria a poderosa Inglaterra. Camarões vencia por 2 a 1 de virada mas perdeu a chance de matar o jogo ao acreditar que já estava ganho e sofreu o empate a sete minutos do fim. Na prorrogação, perdeu por 1 a 0 e se despediu da Copa, perdendo a chance de disputar as semifinais.

Copa de 1994 – Bulgaria de Stoichkov

A seleção bulgara chegava a essa Copa com seis participações em mundiais mas sem nunca ter ganho um jogo em copas do mundo. Apesar disso, a seleção de Lechkov e do astro Stoichkov surpreendeu ao terminar um grupo complicado com Nigéria e Argentina na segunda posição. Nas oitavas enfrentou e venceu nos penaltis a seleção mexicana. Nas quartas venceu a então campeã do mundo Alemanha. Nas semifinais, em um jogo muito duro, decidido pelo craque Roberto Baggio, perdeu por 2 a 1 pra Itália e já cansada depois de tantos jogos difíceis, perdeu a disputa pelo terceiro lugar para a Suécia por 4 a 0. Stoichkov foi um dos artilheiros da competição com seis gols.

Copa de 1998 – Croácia de Davor Suker

Parece que para ser surpresa é necessário cair no grupo da Argentina. Assim foi também com a Croácia que se classificou em segundo lugar no grupo H com seis pontos. Até aí nenhuma surpresa. Nas oitavas, vitória sobre a Romênia por 1 a 0. Nada demais. Mas nas quartas, os croatas golearam a Alemanha por 3 a 0 e viraram a sensação da Copa. E quase a Croácia fez história nas semi, já que saiu ganhando da França, mas tomou a virada e acabou a copa em 3º ao bater a Holanda por 2 a 1.

Copa de 2002 – Senegal, Turquia e Coréia do Sul

Impossível escolher qual chocou mais o mundo. Senegal de cara bateu a França, então campeã do mundo e se classificou num grupo dificílimo com Dinamarca e Uruguai. A Turquia não causou surpresa ao se classificar no grupo de Brasil, China e Costa Rica, mas eliminou os donos da casa, o Japão, nas Oitavas e o próprio Senegal nas quartas. Já a Coréia do Sul acabou encantando o mundo com a paixão de sua torcida que cantava sem parar os 90 minutos de jogo. Passou por um grupo complicado com Portugal, Estados Unidos e Polônia e eliminou nada menos que a Itália nas oitavas. Poderia ter uma campanha mais bonita se não fosse os escandalosos erros de arbitragem a seu favor, principalmente nas quartas de final contra a Espanha, em que ganhou nos penaltis após um 0 a 0 no tempo normal. Nas semifinais não teve jeito. Derrota por 1 a 0 pra Alemanha, mas o time saiu aplaudido de pé pelas arquibancadas. Na disputa pelo terceiro lugar, nova derrota, dessa vez para a Turquia.

Copa de 2006 – Gana, a mini-zebra

Na verdade, o apito impediu que essa copa tivesse alguma zebra. A Austrália levaria o jogo contra a Itália para a prorrogação mas foi prejudicada pelo juiz que marcou um penalti inexistente para a Itália no ultimo minuto de jogo. Já Gana perdeu para a Itália e desclassificou Estados Unidos e República Tcheca, considerada uma das favoritas pelos jogadores que possuia, com duas vitórias contundentes. Porém, não houve possibilidade de desclassificar o Brasil, mas pela péssima linha de impedimento armada pela zaga africana do que pelo bom futebol do Brasil. A Copa terminou sem grandes zebras e com várias seleções de ponta disputando as quartas de final.

Curiosidades sobre as seleções da Copa do Mundo de 2010

– A Alemanha já enfrentou a Alemanha em uma Copa do Mundo. Na Copa de 74, a Alemanha Oriental enfrentou a Alemanha Ocidental e venceu por 1 a 0. A Alemanha Ocidental acabaria a copa campeã. As duas estavam divididas pelo emblemático muro de Berlim.

– Até o início da década de 90 a África do Sul não possuia apenas uma seleção e uma federação. Cada raça tinha sua própria seleção e federação. Tudo culpa do Apartheid.

– A Argentina é uma das únicas seleções do mundo (junto com a França) a conquistar a Copa do Mundo, as olimpíadas, o torneio continental e a Copa das Confederações, ainda que ela não tivesse essa nomenclatura em 1992, quando a seleção portenha a conquistou.

– A Inglaterra disputou contra a Escócia a primeira partida entre seleções da história do futebol. Foi em 30 de Novembro de 1872 e o jogo terminou em 0 a 0.

– A seleção da Holanda foi uma das primeiras européias a convocar jogadores negros de suas colonias. Isso lhe rendeu craques como Ruud Gullit, Frank Rijkaard, Edgard Davids e Clarence Seedorf.

– Em todos os seus quatro títulos mundiais conquistados a Itália contou com jogadores de origem italiana mas nascidos em outros países.

– O Brasil jogava de Branco até a final da Copa de 50, quando perdeu para o Uruguai em pleno Maracanã. Depois desse dia, foi feito um concurso para escolher a nova camisa da seleção e ironicamente o desenhista do uniforme amarelo usado até hoje foi um torcedor do Uruguai.

– O máximo que a Espanha conseguiu em Mundiais até hoje foi o troféu Fair Play da Copa de 2006, concedido a seleção com o jogo mais limpo da Copa.

– Apesar de ter jogado 14 Copas do Mundo, a melhor classificação do México na competição foram dois sextos lugares conseguidos em casa em 70 e 86.

– A Nigéria desistiu da Copa das Nações Africanas de 1996, curiosamente disputada na África do Sul. Por causa dessa desistencia foi punida, ficando também fora do torneio em 1998.

– O Norte-americano Bert Patenaude foi o marcador do primeiro Hat-Trick da história das Copas. Foi na vitória dos EUA sobre o Paraguai na Copa de 1930 por 3 a 0.

– A Austrália aplicou a maior goleada de que já se teve notícia no futebol internacional: uma vitória por 31 a 0 contra a Seleção da Samoa Americana.

– Apesar de ser uma seleção relativamente respeitada no futebol, a Dinamarca participou de sua primeira Copa do Mundo apenas em 1986. A partir daí, sob o comando dos irmãos Laudrup, ganhou a Eurocopa e a Copa das Confederações, além de ter chegado as quartas de final da copa de 1998.

– O maior goleador da história do campeonato argentino é um paraguaio. Arsenio Erico é considerado o maior jogador da história do Paraguai e foi o grande jogador sulamericano da década de 40.

– A Coréia do Norte manda alguns de seus jogos no maior estádio do mundo atualmente. O Rungrado May-Day tem capacidade para 150 mil pessoas.

– A Suiça alcançou a inédita marca de ser eliminada de uma copa do mundo sem sofrer gols. Foi em 2006, quando passou 4 jogos com sua defesa invicta e foi eliminada nos penaltis.

– O Uruguai, conhecido como “A celeste olímpica” por ser bi-campeão olímpico não disputa essa competição a 82 anos. A ultima vez que disputou foi em 1928, quando ganhou sua segunda medalha de ouro.

– Na Coréia do Sul era disputado um jogo chamado chuk-guk, muito parecido ao futebol moderno. Apesar disso, tiveram contato com o futebol apenas em 1882.

– A Argélia foi responsável por uma das maiores zebras da história das Copas ao vencer a Alemanha na estréia da Copa de 1982 por 2 a 1.

– A Sérvia foi a última colocada da Copa de 2006 com três derrotas e a pior defesa da competição. Ironicamente, a Sérvia se classificou a essa Copa graças a sua solidez defensiva.

– Pode parecer estranho, mas o Japão já disputou uma Copa América. Foi em 1999, quando jogou como convidado. O Japão foi o ultimo colocado do torneio disputado no Paraguai.

– A Copa de 2010 será a primeira em que duas seleções da Oceania jogam simultaneamente uma Copa do Mundo. Isso graças a Nova Zelândia que conquistou sua vaga ao bater a seleção do Bahrein.

– Em 2006 a população da Costa do Marfim quase ficou sem ver a Copa do Mundo. O presidente do país declarou que se a violência no país não diminuisse, os habitantes não veriam o Mundial, afinal, não havia a união necessária para torcer pelo país. A tática não deu certo, mas o povo pode ver a Copa.

– O melhor resultado da história da seleção de Honduras foi uma vitória de 2 a 0 sobre o Brasil, em profunda crise, na Copa América de 2001. Depois de eliminar o Brasil nas quartas, a seleção hondurenha acabou a competição em 3º lugar.

– A França é a única seleção campeã do mundo a não marcar um gol sequer na Copa seguinte ao seu título. Foi em 2002 na Copa Coréia/Japão.

– A seleção da Grécia é a seleção que mais rápido cresceu no ranking da Fifa no menor espaço de tempo. Em apenas um mês, depois da conquista da Euro 2004, configurando uma das maiores zebras da história do futebol, os gregos subiram 21 posições, saindo da 35ª para a 14ª posição.

– A Eslovênia vem participando das grandes competições entre seleções nos ultimos anos, mas jamais conseguiu vencer um jogo de Copa ou de Euro. São 4 derrotas e 2 empates em seis jogos.

Gana foi a primeira seleção africana a conquistar uma medalha olímpica. Tal fato aconteceu em 92 e abriu caminho para duas medalhas de ouro consecutivas do continente europeu nos jogos, já que em 1996 a Nigéria venceu e em 2000 Camarões levou o ouro.

– A seleção de Camarões foi a primeira africana a chegar as quartas de final de uma Copa do Mundo. Isso graças a Roger Milla, que já estava aposentado e foi intimado pelo presidente a jogar o Mundial. Mas segundo Milla, o presidente fez apenas um pedido pacífico já que era seu amigo pessoal.

– Indiretamente, a seleção da Eslováquia já chegou a final da Copa do Mundo. Afinal, a Tchecoslováquia era formada pelos povos tchecos e eslovacos e chegou a final da Copa do mundo de 1962. Em 1993, a Tchecoslováquia se separou em República Checa e Eslováquia, e chegou a disputar as eliminatórias de 1994 com o nome “Seleção dos povos tchecos e eslovacos”.

– Apesar de ser muito respeitada no futebol, a seleção de Portugal participará de sua 5ª Copa do Mundo apenas.

– O Chile jamais conquistou um título importante com sua seleção principal. São quatro vices na Copa América, duas medalhas de prata em jogos Panamericanos e um terceiro lugar na Copa de 1962.

Craques brasileiros que pouco jogaram na seleção

Engraçado. Parece que a camisa pesa em alguns jogadores, ou que eles simplesmente não nasceram pra vestir a amarelinha. Vamos listas alguns craques que infelizmente não tiveram sucesso (ou oportunidade) na seleção brasileira:

Evair

Sucesso em vários clubes no fim dos anos 80 e nos anos 90, Evair teve poucas oportunidades na seleção brasileira. Apesar de ter sido convocado várias vezes, atuou em poucos jogos e fez apenas alguns gols. Mas verdade seja dita. Foi uma injustiça ele ter ficado de fora da Copa de 94, ainda mais perdendo a vaga pro Viola. É brincadeira!

Renato Gaúcho

O polêmico atacante, maior ídolo da história do Grêmio, jogou em vários clubes brasileiros e até do exterior, mas quase não atuou pela seleção canarinho. Renato até que foi chamado várias vezes mas fez poucos gols e manchou sua carreira no Brasil ao ser cortado por indisciplina as vésperas da Copa de 86.

Alex

Esse é o jogador mais injustiçado da história. Sempre jogou muito, sempre comeu a bola, foi destaque e capitão em vários títulos que ele conquistou junto com seus clubes mas nunca teve a chance adequada na seleção. Apenas com Vanderlei Luxemburgo teve sequencia com a camisa do Brasil e fez uma excelente dupla com Ronaldinho Gaúcho. Mas aparentemente ficou queimado depois das olimpiadas de 2000 onde todo o grupo jogou mal. Em 2002 Alex era nome certo na Copa, mas Felipão preferiu levar o jovem Kaká. Na era Parreira teve chances e sempre que entrou jogou bem, mas simplesmente não foi mais convocado. É uma pena, mas Alex não vai disputar nenhuma Copa do Mundo. Quem tem a perder é o futebol.

Ademir da Guia

O Divino também foi muito injustiçado. Foram apenas 14 convocações em toda sua brilhante carreira. Dizem que ele não era carismático e por isso não tinha apelo popular. Vai saber… o fato é que ele pouco atuou pela seleção e em copas do mundo foram apenas alguns minutos na copa de 74.

Dirceu Lopes

Multi-campeão pelo Cruzeiro e melhor meia do Brasil por três vezes, Dirceu Lopes fazia uma dupla infernal com Tostão. Mas nem isso foi suficiente para que ele jogasse bem na seleção. Foram pouco mais de 10 jogos pela seleção. Em 1970, era nome certo no time de João Saldanha, mas quando este deixou o Brasil, Dirceu foi cortado por Zagallo, alegando que a seleção já tinha muitos jogadores pra sua posição. Em fim, Dirceu não nasceu pra servir o escrete canarinho.

Adílio

Ganhou tudo pelo Flamengo nos anos 70 e 80 ao lado de Zico, Andrade e Júnior mas atuou apenas duas vezes pela seleção brasileira. Adílio parece ser um caso daqueles jogadores que só jogam bem com uma camisa. Jogou no Flamengo de 75 a 87 e depois que saiu do rubronegro nunca mais se encontrou. Passou por vários clubes e acabou se aposentando sem nunca mais repetir o bom futebol desempenhado no time carioca.

Raí

Monstro no São Paulo, infelizmente Raí nunca atuou na seleção brasileira com a mesma qualidade que jogava no tricolor. Na copa de 94 chegou com a moral de capitão e camisa 10 mas depois de uma fraquíssima primeira fase acabou saindo do time principal para dar lugar a Mazinho. Raí seguiu sendo convocado e era nome certo pra Copa de 1998, mas no último jogo do Brasil no país, contra a Argentina, foi muito vaiado e o estádio em peso gritou “Raí, pede pra sair”. Em fim, o meia acabou não sendo convocado pra Copa do Mundo, dando lugar a Giovanni, então no Barcelona.

Djalminha

Apesar de ser um dos principais jogadores dos anos 90 (e um dos mais habilidosos que eu vi jogar), Djalminha acabou tendo poucas chances na seleção. Foi convocado pra Copa América de 1997, em que o Brasil foi campeão, mas quase não jogou, sendo reserva de Leonardo. Também foi convocado para um quadrangular na França em 97 mas ficou fora da copa de 98. Em 2002 era nome certo, mas agrediu seu treinador no La Coruna e por isso não foi chamado.

Estrelas que não foram convocados para a Copa do Mundo

Ruud Van Nistelrooy

Depois da Euro 2008 ele decidiu se aposentar da seleção mas se arrependeu e disse que gostaria de estar na África do Sul. Porém uma contusão que o deixou 9 meses parado praticamente tirou suas chances de ir a Copa. Atualmente joga no Hamburgo.

Ronaldinho Gaúcho

Festas, desinteresse e péssimas atuações com a camisa amarelinha foram os motivos que deixaram Ronaldinho fora da Copa. Depois de um ótimo mundial em 2002 e de uma copa medíocre em 2006, o jogador não se encontrou mais. Saiu do Barcelona e no Milan jogou bem apenas na segunda metade do campeonato italiano de 09/10 e ainda sim não foi nem sombra do monstro que era no time catalão. Verá a Copa pela TV.

Riquelme

Tudo começou num jogo entre Argentina e Peru pelas eliminatórias em que Julio Grondona abraçou Messi no vestiário e disse: “Você é meu homem de confiança em campo”. Riquelme não gostou nada e a partir de então parou de falar com Messi. O grupo rachou. De um lado os veteranos e de outro os garotos que jogam juntos a muito tempo formado por Messi, Aguero, Mascherano, Tevez e Higuaín. Aparentemente, Maradona interviu na briga a favor da molecada. Após uma vitória sobre a França em Paris (sem Riquelme que estava lesionado), os jogadores vibraram muito e cantando no vestiário pediram para que Riquelme não fosse mais convocado, já que ele não seria mais necessário no grupo. Maradona foi a TV e deu declarações que desagradaram Riquelme que, já informado do motim formado contra ele, abdicou da seleção, dizendo que ele e Maradona tinham diferenças irreparáveis.

Antonio Cassano

Apesar de ter engatado uma boa sequencia na Sampdória, o talentoso atacante ficou fora da Copa por não se entender muito com Marcelo Lippi, treinador da Azzurra. Ele tinha tanta certeza que ficaria fora da Copa que marcou seu casamento pra 19 de Junho e disse que espera ansiosamente a saída de Lippi do comando da Itália.

Esteban Cambiasso

Parece que ele não é muito bem quisto entre os jogadores. Não sei exatamente porque. Mas o fato é que ele é um dos melhores volantes do mundo e Maradona levou apenas Mascherano como volante de marcação e 6 atacantes. Sei não, mas acho que ele fará muita falta.

Karim Benzema e Samir Nasri

Ah meu amigo, aí você vai ter que perguntar pro Domenech. O treinador da França é o tipo técnico que levou a fama por comandar um craque. Sim, com ele a França foi a final da Copa de 2006 mas não foi por causa dele e sim apesar dele. Domenech é meio maluco. Justifica suas convocações de forma ridícula, usando mapas astrais, por exemplo. Fato é que Benzema, apesar de estar na reserva do Real Madrid, é muito melhor que Govou, Gignac e Cissé. E Nasri dispensa comentários.

João Moutinho e Ricardo Quaresma


Tratado como um dos maiores talentos da boa safra atual da seleção portuguesa e capitão do Sporting, João Moutinho ficou apenas entre os sete da lista de espera e nem mesmo com a contusão do meia Nani foi convocado. Tá certo que ele ainda é jovem e terá pelo menos mais duas Copas do Mundo pela frente, mas é uma decepção muito grande pra ele, já que foi convocado pra maioria dos jogos anteriores da seleção. Já Quaresma, apesar de jogar muito bem a nível nacional, não consegue a mesma notoriedade jogando fora de seu país. Pelo Porto fez três excelentes temporadas em 2006, 2007 e 2008 mas ao se transferir para a Inter de Milão não manteve a mesma sequencia e acabou ficando no banco na maioria dos jogos. Talvez por isso tenha ficado fora do Mundial.

Adriano e Benny MacCarthy


Apesar de serem de seleções diferentes, o brasileiro Adriano e o Sulafricano MacCarthy foram deixados de lado pelo mesmo motivo: o peso.

Tá certo que Adriano aliou isso a falta de compromisso e de profissionalismo, mas o peso dos dois foi o motivo principal. Aparentemente, eles também acreditavam que eram intocáveis. Vai saber…

Jogadores que fizeram sucesso apenas em Copas do Mundo

Claro que nenhum jogador tem a capacidade de fazer sucesso APENAS em copas do mundo. Mas eles fizeram muito pouco em seus clubes perto do potencial que mostraram em copas. Vamos listar alguns:

Grzegorz Lato

O astro polonês, artilheiro da copa de 74, medalha de ouro nas olimpíadas de 72 e 5º lugar na copa de 78, comandou a Polônia na melhor fase do futebol do país. Mas como jogador, Lato não teve grande destaque. Passou a maior parte de sua carreira no Stal Meliec do seu próprio país. Aos 30 anos foi jogar no futebol belga e encerrou sua carreira no futebol mexicano. Pouco pro grande talento do jogador.

Oleg Salenko

Apesar de ter atuado pela fraquíssima seleção russa na Copa de 94, Salenko conseguiu se destacar. Fez um gol na derrota de sua seleção para o Suécia por 3 a 1 e bateu o record de gols marcados na mesma partida de copa do mundo, ao fazer 5 gols na goleada por 5 a 1 da Rússia sobre Camarões. Ganhou tanto destaque que logo depois da Copa saiu do pequeno Logroñés da Espanha para o grande Valencia, mas não correspondeu. A partir daí virou um andarilho do futebol, jogando pouco e muito mal nos times em que atuou. Depois da Copa ele nunca mais jogou pela seleção russa e encerrou sua carreira aos 32 anos no futebol polonês.

Kennet Andersson

Forte, alto e habilidoso, Andersson se destacou muito na copa de 1994, quando fez cinco gols (inclusive um no Brasil) e ajudou a levar a seleção da Suécia a um surpreendente 3º lugar. Ele que jogava no futebol sueco, foi negociado com o Lille da França por uma boa grana e desde então não parou mais. Passou por vários clubes médios e encerrou a carreira em 2005 aos 38 anos.

Gordon Banks

Grande destaque da Inglaterra nas Copas de 66 e 70, por clubes ganhou apenas um título, a Copa da Liga Inglesa de 1972 com o pequeno Stoke City. Banks nunca teve a chance de jogar em um grande clube.

Pak Doo-Ik

Esse é um caso muito curioso. Doo-Ik foi o autor do famoso gol que eliminou a Itália do Mundial de 1966, quando a seleção da Coréia do Norte venceu a toda poderosa seleção italiana por 1 a 0. Com este gol Pak Doo-Ik ganhou grande destaque na imprensa internacional. A Coréia do Norte chegou a assustar Portugual nas quartas de final, abrindo 3 a 0 no placar, mas Eusébio comandou a virada dos lusitanos, fazendo tres gols e assim contribuindo decisivamente para o 5 a 3 final. Doo-Ik não se deu bem em clubes simplesmente porque ele nunca foi jogador de futebol. Ele era do exército norte-coreano (foi promovido a sargento depois da copa) e depois do mundial largou a seleção do país e o exército para ser instrutor de ginástica.

Fábio Grosso

Grosso jogava no Palermo quando foi convocado para a Copa de 2006 e foi um dos nomes mais contestados da lista de Marcelo Lippi. Mas ele foi chamado pelo treinador da Azzurra e foi escalado como titular. As primeiras atuações de Grosso não foram muito convicentes e o lateral foi massacrado na mídia. Mas isso apenas até as oitavas de final. Itália e Austrália empatava em 0 a 0 quando Grosso, no último minuto, arrancou pela esquerda, driblou o zagueiro e caiu na área… o juiz marcou penalti (que não foi) e Totti colocou a Itália nas quartas. Contra a Ucrânia mais uma boa atuação e vitória italiana por 3 a 0. Nas semifinais, Grosso marcou o primeiro gol italiano contra a Alemanha, já na prorrogação e na final marcou o penalti decisivo na disputa contra a França. Apesar de todo esse sucesso na seleção, Grosso nunca mais conseguiu manter uma boa regularidade e hoje joga na Juventus, que fez sua pior campanha em 30 anos na ultima temporada.

Denílson

Apesar de ter sido muito importante nas campanhas de 98 e 2002, sempre entrando no segundo tempo das partidas, Denilson foi inútil nos clubes que passou depois que saiu do SPFC, chegando a jogar até no Vietnã.

Grandes goleiros da história das Copas

Dino Zoff

O arqueiro italiano disputou quatro copas do mundo e é responsável por alguns records. Até hoje apenas ele e um outro goleiro italiano são os únicos jogadores da posição a serem capitães de uma seleção campeã do mundo. Dino Zoff é o jogador mais velho a ser campeão do mundo, fato ocorrido em 1982 quando tinha 40 anos. Ele também é o recordista de invencibilidade em jogos internacionais. São mais de 1100 minutos sem sofrer gols pela seleção ao longo de quase dois anos.

Gordon Banks

Ele foi o goleiro que praticou a defesa mais difícil da história das Copas, em uma cabeçada de Pelé em 1970 no México. Apesar de ter sido um dos grandes destaques da Inglaterra na Copa de 1966, Banks nunca jogou em um grande clube inglês. Disputou três copas do mundo, sendo eleito o melhor da posição na copa de 66. Em 1972 sofreu um acidente que tirou parte de sua visão, mas ainda assim jogou algum tempo no futebol americano.

Michel Preud’homme

Eleito o melhor goleiro da copa de 94, o belga era dono de uma elasticidade impressionante e isso fazia dele um goleiro fantástico. Era aclamado por onde passava o no Benfica a torcida o chamava de Saint Michel, por causa dos milagres que operava com a camisa 1 do time lusitano. Realmente ele era sensacional.

Jose Luis Chilavert

Ele não era bom apenas nas cobranças de falta. Chilavert também era um grande goleiro e formou com Ayala e Gamarra uma defesa praticamente intransponível na Copa de 1998. O Paraguai saiu da Copa tendo sofrido apenas dois gols em quatro jogos, sendo que o segundo deles foi na prorrogação contra a dona da casa França. Além do mais, foi eleito como melhor goleiro do mundo em 1995.

Taffarel

Sai que é sua Taffarel! Quem nunca gritou isso jogando futebol? Taffarel era um goleiro que crescia nas decisões. As vezes falhava em jogos menos importantes, mas na hora decisiva ele parecia um gigante. Disputou três copas do mundo pela seleção como titular e em duas delas foi fenomenal. Em 1994, além da excelente defesa que formou com Aldair e Marcio Santos, pegou um penalti na final da Copa. Em 98 colocou o Brasil na final da Copa ao pegar dois penaltis contra a Holanda nas semifinais. Foi eleito como o 10º melhor goleiro da história do futebol.

Sepp Maier

Se tinha um goleiro que tinha os reflexos rápidos, esse era Josef Maier. Tanto que era apelidado de “O gato”. Ele pulava muito rápido, tinha um reflexo apuradíssimo e muitos dizem que ele era tão veloz assim porque tinha as pernas levemente curvadas, o que facilitava na impulsão. Lendas a parte, Maier assumiu a camisa da seleção com apenas 22 anos e só largou no fim de sua carreira. Foram quatro copas disputadas, com um caneco conquistado. Além de ser um ótimo goleiro, Maier era muito bem humorado, o que o diferenciava dos sempre sérios alemães.

Lev Yashin

O Aranha Negra é considerado o maior goleiro de todos os tempos. Tanto que dá nome ao troféu que premia o melhor goleiro de cada Copa do Mundo. Até hoje, ele é o único goleiro a ganhar a Bola de Ouro da prestigiada revista France Football. Dizem que Yashin defendeu 150 penaltis na carreira. Ele foi o precursor da saída de gol, já que antes os goleiros se limitavam a pequena área. Foi ele o primeiro goleiro a jogar adiantado, fazendo a função de líbero que hoje Rogério Ceni faz com perfeição. Quando resolveu se aposentar, a FIFA lhe concedeu uma medalha de ouro especial, por sua inigualável contribuição ao esporte.

Copa de 1966 – A Copa da Vergonha

A copa de 1966 foi uma das competições de alto nível mais vergonhosas da história do futebol. Não só pela escancarada armação para que a Inglaterra fosse campeã mas também pelo baixo nível técnico apresentado.

Aquele era o ano do centenário do futebol na Inglaterra. Já na primeira fase o Brasil foi eliminado. Tá certo que a seleção brasileira jogou muito pouco nessa copa, mas o principal jogador brasileiro, Pelé, foi caçado em campo em todos os jogos do Brasil na Copa, principalmente contra Portugal, quando saiu lesionado de campo. Todo o sofrimento de Pelé foi acompanhado de perto pelos árbitros que pouco fizeram para coibir a violência.

Nas quartas-de-final, a roubada da vez foi a Argentina. A seleção portenha vinha jogando um bom futebol e era uma das favoritas ao título. Porém, teve o azar de cruzar com a campeã da Copa (antes mesmo do fim). A Argentina apanhou igual gente grande naquela partida. O juiz ignorava a reclamação dos jogadores até que Rattín, grande craque daquele time argentino se aproximou e reclamou do juiz que o expulsou imediatamente. O detalhe é que o juiz não sabia o que Rattín dizia, já que não falava espanhol. O apitador justificou dizendo que “Rattín falou com ele de cara feia”. Rattín ficou tão revoltado que teve de ser escoltado pra fora de campo.

A final entre ingleses e alemães foi disputada em Wembley para 98 mil pessoas. O jogo terminou em 2 a 2 no tempo normal e aos 8 minutos do tempo extra, o atacante Hurst chutou a bola. Ela tocou o travessão e caiu sobre a linha da área. O juiz confirmou o gol. A Alemanha protestou veementemente mas o juiz suiço não deu idéia. Os alemães estavam muito revoltados e quando o jogo recomeçou estavam visivelmente abatidos. No fim a Inglaterra fez mais um e levou pra casa a taça que já era dela antes do início da Copa.

Depois desse Mundial os juizes foram instruidos a serem mais rígidos e foram criados os cartões amarelo e vermelho.

“Não entendíamos o que o árbitro falava com os ingleses. A impressão é de que não estava advertindo os faltosos. O jogo violento corria solto. Fui expulso porque estaria contestando as marcações dele. Depois, sentei no tapete vermelho ao redor da tribuna da família real. Jogaram latas de cerveja em mim. E eu não gosto de cerveja inglesa”

Rattín, jogador argentino expulso na partida vencida pela Inglaterra, por 1 a 0, nas quartas de final da Copa

“Nós não trocamos uniformes com animais”

Alf Ramsey critica duramente a Argentina

“Eu não estou feliz com você porque marcou um gol que não foi gol”

Franz Beckenbauer, jogador alemão, a Geoffrey Hurst, autor do polêmico gol na final, 16 anos após a decisão

“Durmo tranquilo. Sei que aquela bola entrou”

Gottfried Dienst, árbitro suíço que validou o polêmico gol da Inglaterra na decisão da Copa do Mundo de 1966