Arquivo

Archive for maio \31\UTC 2010

Rapidinhas do futebol argentino

– Claudio Borghi terá um trabalho duro pela frente. O novo treinador do Boca Jrs não teve boas impressões do time na excursão aos EUA. Em três jogos foram três derrotas em território americano. O ainda interino Roberto Pompei criticou muito o time e disse que os jogadores não tem garra. Pobre Borghi…

– Leandro Caruso é a primeira contratação do River. Chega por empréstimo de um ano.

– Ramon Díaz já está trabalhando no San Lorenzo. Comanda o time por um ano, prorrogável por mais um.

– Pedro Troglio, ex-treinador do Cerro Porteño é o novo treinador do Argentinos Jrs. Assinou por um ano.

– Um grupo de 12 pessoas se juntará a direção do Rosário Central para tentar levar o time de volta a primeira divisão. O time foi rebaixado ao perder para o Rafaela nos playoffs e jogará a série B na próxima temporada.

– Damián Escudero do Villarreal pode acertar com o Boca a qualquer momento.

– O atacante Luna do Tigre pode ser negociado com o Colo-Colo do Chile nos próximos dias.

Revolucionários do Futebol

Existem homens que mudaram os rumos do futebol com sua técnica, tática e mesmo com suas derrotas. Vamos lembrar alguns desses caras e seus grandes feitos para o futebol.

Bella Guttmann e o 4-2-4

O treinador húngaro é tido como o criado do sistema que encantou o mundo na década de 50. Este esquema fez da Hungria uma grande força do futebol mundial, mas não conseguiu levar a seleção ao título mundial. O sistema foi adaptado por Vicente Feola ao futebol brasileiro e levou a seleção a conquista do bi-campeonato mundial em 58 e 62.

Friedenreich e os dribles

Ele foi o principal jogador do futebol brasileiro nos anos 30 e revolucionou o futebol por causa de sua movimentação. El Tigre dava dribles desconcertantes, principalmente dribles de corpo, algo que não acontecia na sua época. Ele é tão fera que uma das musicas sobre futebol mais conhecidas (vai começar o futebol, com muita garra e emoção, são onze de cá, onze de lá e o bate-bola no meu coração) foi feita pra ele.

Jack Reynolds e o carrossel holandês

O treinador holandês foi o criador do futebol total, esquema de jogo em que quase todos os jogadores não tinham posição fixa e atacavam e defendiam. Ele foi treinador do Ajax por 33 anos e comandou Rinus Michels, que depois de parar de jogar se tornou treinador e implementou o esquema tanto no Ajax super campeão da década de 70 quanto na seleção holandesa, duas vezes vice-campeã mundial e campeã da Euro 88.

Beckenbauer, o melhor líbero da história

O Kaiser alemão se eternizou no futebol jogando como líbero da seleção alemã campeã do mundo em 1974. A idéia inicial era que o Líbero fosse o zagueiro com tecnica refinada e que ficaria na sobra pra sair jogando com qualidade. Beckembauer fazia essa função com extrema maestria e com sua visão de jogo comandava o time. Bem, hoje em dia a função de líbero ficou banalizada, mas Beckenbauer ficou marcado como o pioneiro e melhor líbero da história.

Claudio Coutinho e a “Europeização” do futebol brasileiro


Claudio Coutinho foi preparador físico da seleção de 70 e depois disso trabalhou no futebol francês. Foi escolhido para comandar a seleção brasileira na copa de 78 e trouxe os esquemas táticos usados na Europa para a seleção do Brasil. Aquela seleção não conseguiu encantar e não conseguiu o título (apesar de não ter chegado a final graças a maracutaia argentina e peruana) mas deixou como herança várias coisas que não eram tão usadas como o 1-2, a polivalência e obediência tática. Após a Copa, Coutinho assumiu o Flamengo e deu a volta por cima, montando o fantástico time que ganhou tudo do fim dos anos 70 ao início dos 90. Até hoje muita gente garante que o grande responsável pelas vitórias do rubro-negro naquele período é Coutinho, ao misturar seus grandes conhecimentos táticos a qualidade individual do grupo.

Nilton Santos, o primeiro lateral ofensivo da história do futebol


Nos anos 40 e 50, como já dito anteriormente, o esquema 4-2-4 revolucionou o futebol, mas os laterais eram meros defensores. Isso até surgir Nilton Santos. O lateral esquedo do Botafogo foi o primeiro lateral a arriscar subidas ao ataque e fazia isso com extrema eficiencia, inclusive fazendo gol em copa do mundo. Contra a Áustria em 58, Nilton Santos driblou o time adversário inteiro e fez um gol magnífico. Cada drible que Nilton dava era um palavrão de Feola no banco, mandando o lateral tocar a bola e recuar a sua posição original. Mas após o gol o folclórico treinador do Brasil se acalmou e sentou no banco.

Jose Luis Chilavert, o goleiro que batia faltas


Chilavert sempre gostou de se aventurar no ataque pra bater faltas. Apesar de não ter marcado gols nos primeiros clubes de sua carreira, começou a se aventurar no ataque no Vélez e não parou mais. Ele foi o primeiro goleiro a fazer um gol de falta no mundo e marcou 62 gols no total, inclusive pela seleção do Paraguai, algo inédito até hoje.

Ilsinho de volta ao São Paulo… por enquanto apenas pra treinar!

O excelente lateral/ala/meia Ilsinho está de volta ao tricolor. A partir da próxima segunda o campeão brasileiro de 2006 treinará no CT da Barra Funda para se manter em forma. Ele entrou em litígio com o Shakhtar Donetsk da Ucrânia que não paga seus salários a quatro meses.

Ilsinho diz que sua intensão inicial é seguir na Europa, mas se não houver acerto (e eu acho difícil que haja, já que um jogador tem mais visibilidade para o mercado europeu aqui no Brasil do que lá no país do Shevchenko) ele se sentirá honrado em voltar ao tri-campeão do mundo.

Será muito bem vindo Ilsinho. Já que o outro Inho, o Cicero, não fica pro segundo semestre, você cairá como uma luva no time. E o São Paulo segue se reforçando e segue contratando de graça. Que bela diretoria nós temos…

Categorias:São Paulo Tags:,

Presidente do Boca garante permanência de Riquelme

O presidente do Boca Jrs Jorge Ameal garantiu hoje ao programa Fox Sports/Radio Del Plata que Juan Roman Riquelme só sairá do Boca se quiser. “Nós vamos fazer o impossível por Riquelme. Ele sairá do clube só se quiser”, disse o mandatário máximo do clube Xeneize. Ele reafirmou que Roman é uma unanimidade dentro do clube e disse que “sabemos que Riquelme vai jogar no Boca na próxima temporada”.

Ameal ainda disse que o Boca está em uma busca constante por reforços. Disse que a princípio não virá ninguém de longe e nenhum jogador fora da realidade do clube. Perguntado se estaria atrás de algum jogador do Argentinos Jrs, atual campeão argentino, Ameal desconversou. Ele disse que há uma disputa política constante no Boca, pois cada um pensa de uma forma, mas que essa disputa é saudável. “Nós dirigentes temos uma pressão extra nas costas”. Ele disse que conversa muito com os torcedores do clube e que a relação é de respeito.

Pra mim essa história está muito estranha. De um lado Riquelme garante que não foi procurado. De outro, a direção do Boca diz que fará de tudo por ele. Porque não marcam uma reunião e resolvem logo isso? Em todo caso, esse é o momento mais propício para que os clubes brasileiros que sonham com ele façam uma proposta. Sendo assim, é bom que Palmeiras, Flamengo e Corinthians sigam de perto essa negociação, apesar de que eu acho que é muito, muito difícil que ele saia da Casa Amarilla. Mas como sonhar não paga impostos…

Curiosidades sobre os treinadores da Copa

– Carlos Caetano Bledorn Verri ganhou o apelido de Dunga de seu tio Cláudio, que não acreditava que ele ia crescer.

– Carlos Alberto Parreira nunca foi jogador de futebol. Ele é formado em educação física e começou no futebol como preparador físico.

– Javier Aguirre do México é o melhor treinador da história do Osasuna da Espanha. Ele conseguiu o feito de levar o Osasuna a Liga dos Campeões da Europa e foi líder do campeonato espanhol por várias rodadas, algo inédito pra um time tão humilde. Com resultados tão expressivos, foi escolhido o melhor treinador da Espanha na temporada 05/06.

– Lars Lagerbäck, treinador da Nigéria, é considerado o treinador mais eficiente do futebol sueco. Conseguiu levar a seleção a cinco classificações a grandes competições consecutivas, feito inédito no futebol daquele país.

– Otto Rehhagel, treinador da Grécia, tem o apelido de “o homem da Bundesliga”. Isso porque ele é o treinador com maior número de vitórias, derrotas, gols a favor e gols contra na história da Liga Alemã. Esse sim é o homem dos records.

– Sven-Göran Eriksson, sueco que comanda a Costa do Marfim caiu em uma pegadinha milionária quando era treinador da Inglaterra. Um humorista se disfarçou de Sheik, o levou aos Emirados Árabes em um hotel 5 estrelas, disse que compraria um clube inglês e que queria que ele fosse o treinador. Depois de algumas taças do mais caro Champagne da casa, Eriksson soltou algumas bombas, como chamar o zagueiro Ferdinand de preguiçoso e garantir que Beckham, então no Real Madrid, estava muito insatisfeito. Ele quase foi demitido por causa disso, mas se manteve no cargo.

– O argentino Gerardo Martino conseguiu um feito muito difícil. Se tornou um ídolo no Paraguai, onde os hermanos não são muito bem vistos. Porém, com os resultados expressivos obtidos, “Tata” conquistou o coração dos torcedores e hoje é um dos homens mais respeitados da pátria Guarani.

– Oscar Tabarez, treinador do Uruguai, comandou o Peñarol na ultima das cinco libertadores que o Carbonero ganhou. Foi em 1987, quando o time venceu o América de Cali na final.

– Morten Olsen da Dinamarca foi o primeiro jogador daquele país a atingir a marca de 100 jogos pela seleção. Era um zagueiro viril e já é treinador da seleção desde 2000.

– A dupla Vladimir Weiss e Vladimir Weiss promete detonar na Copa. Loucura? Não… são pai e filho, respectivamente (como se fizesse alguma diferença hehe). Um é treinador e outro meia da seleção da Eslováquia.

– Ottmar Hitzfeld é um dos maiores treinadores do mundo. O comandante da suiça é hepta campeão alemão e bicampeão da UCL. Apesar de ter nascido na Alemanha, ele atuou a maior parte de sua carreira como jogador na suiça, sendo bicampeão daquele país como atacante do Basel e tricampeão como treinador do Grasshopper e do Aarau.

– Huh Jung-Moo, treinador da Coréia do Sul, era meio-campista e jogou por três anos no PSV da Holanda, onde fez algum sucesso.

– Rabah Saadane é o treinador responsável por levar a Argélia as duas copas do mundo em que estiveram presentes, em 1986 e em 2010. Será que ele é um ídolo do país?

– Radomir Antic da Sérvia foi responsável por algumas das maiores alegrias e desgraças do Atlético de Madrid nos ultimos anos. Com ele, o time conquistou sua última Liga da Espanha em 95/96 e caiu pra segunda divisão em 2000.

– Reinaldo Rueda, colombiano que treina Honduras é um treinador em franco crescimento. Como comandante dos times de base da Colombia conquistou resultados expressivos. Assumiu a seleção principal nas eliminatórias de 2006 e tirou o time da ultima posição, terminando em sexto. Agora em Honduras, levou a seleção a Copa depois de 26 anos.

– Kim Jong-Hun da Coréia do Norte era um excelente zagueiro mas era muito esquentadinho. Por reclamações dele em relação a arbitragem, a seleção daquele país foi suspensa por um ano.

– Raymond Domenech da França é um cara deveras estranho. É considerado arrogante e tem algumas manias ridículas, como não convocar alguns jogadores por causa do signo.

– O treinador da seleção Eslovena Matjaž Kek era zagueiro e assim com Dunga, era conhecido por ser um líder nato. Fez carreira no futebol local e na Austria.

– O treinador de Gana Milovan Rajovac conseguiu um grande feito na carreira. Levou o inexpressivo FK Borac a uma competição européia. Não que o time tenha ido longe, mas já é um começo…

– Ricki Herbert da Nova Zelandia é um dos maiores nomes do futebol do país. Com ele na zaga, o time se classificou pela primeira vez para uma Copa em 1982. Agora como treinador, ele levou o país a sua segunda Copa do Mundo. Fraco não hein…

– Como jogador, Takeshi Okada do Japão foi bem fraquinho. Mas como treinador já vai a sua segunda Copa do Mundo com o Japão.

– El loco Bielsa, argentino que treina o Chile, recebeu uma grande homenagem. Desde o fim do ano passado, o estádio do Newell’s passou a levar seu nome. Uma justa homenagem a ele, que como treinador e jogador ganhou tudo pelo clube.

– O filho de Bob Bradley, treinador da seleção americana é jogador e atua no futebol alemão. Michael Bradley tem apenas 22 anos, mas desde os 16 atua na Europa.

– Paul Le Guen, treinador de Camarões, foi o responsável pelos quatro primeiros títulos da série de sete do Lyon na França.

– Pim Verbeek da Austrália é irmão do também treinador Robert Verbeek, que treinou Romário e Ronaldo no PSV da Holanda. Tem um bom olho o rapaz…

– Bert van Marwijk da Holanda possui um dado curioso como jogador. Fez quase 400 jogos por times na Eredivise mas apenas uma partida pela seleção holandesa. Não devia ser grande coisa…

– Fábio Capello, italiano que dirige a Inglaterra tem vários títulos como treinador, mas um lhe falta. O Mundial de Clubes. O problema é que ele foi atropelado por um certo São Paulo na final de 1993…

– Carlos Queiroz de Portugal nasceu em Moçambique e cursou faculdade de Engenharia Mecânica.

– Vicente Del Bosque da Espanha costurou o nome do Real Madrid na boca do sapo. Afinal, desde que ele foi demitido do clube merengue, nunca mais o time ganhou um titulo importante. Medo desse cara… muito medo!

– Joachim Löw da Alemanha é vice-presidente de uma rede global de projetos sociais ligados ao futebol para jovens.

– Durante uma campanha contra as drogas feita pela AFA em 1997, Maradona declarou: “Faço essa campanha como uma obrigação de pai. Não quero que as drogas cheguem as crianças. Fui, sou e serei um drogado”.

– Marcelo Lippi da Itália é um dos grandes ídolos da história da Sampdória. Jogou no clube por 11 anos como zagueiro, assim como a esmagadora maioria dos treinadores.

Richarlyson redescobre a simplicidade

E aí sim ele é craque.

É isso aí. O Ricky é o craque da simplicidade. Pra fazer o básico ele é muito bom. Tomar a bola, sair jogando, dar balão. Desde que voltou a fazer o “feijão com arroz” ele se tornou importantíssimo para o time e pasmem, fará falta no próximo jogo.

Quando foi escolhido o melhor volante do campeonato brasileiro de 2007, Richarlyson era inquestionável no time e justamente porque ele fazia o basicão. Era o primeiro volante da dupla com Hernanes e todos diziam que os dois substituíram a altura a super dupla Mineiro e Josué, que marcou época com a camisa tricolor. Era eficiente na marcação e na saída de bola. Roubava a bola e tocava pra quem sabe.

Mas depois da seleção ele mudou completamente a forma de jogar e passou a se achar um craque. Até chegou a declarar que era um bom jogador com “lampejos de craque”. A partir daí foram partidas medíocres e dois anos no ostracismo. Agora Richarlyson redescobriu a sua simplicidade e voltou a render.

Mas por favor, não elogiem ele! Esquece o Richarlyson! Não falem bem e nem mal, porque o que ele gosta é que falem dele e ele fez de tudo pra estar sob os holofotes. É melhor esquecer dele, deixar pra lá… Se não ele vai pensar que é gênio de novo e vai começar a tentar passe de letra, viradas de jogo improváveis, chutes da intermediária.

Aí fica a questão: será que alguém chegou nele e bateu a real principalmente depois daquele xilique no Perú ou ele se conscientizou que só será útil jogando o simples?

Eu fico pela primeira opção, porque “desconfiômetro” ele já mostrou que não tem…

Categorias:São Paulo Tags:,

Rogééério!