Arquivo

Posts Tagged ‘Apertura 2009’

River apenas empata e Boca goleia. Veja resumo da rodada do Apertura

O River Plate foi a Mendoza enfrentar o Godoy Cruz e teve todas as chances possíveis e imagináveis para vencer, mas mais uma vez, demonstrando instabilidade durante a partida e graves falhas de marcação, a equipe de Leo Astrada conseguiu apenas um empate por 1 a 1. O gol do time da capital foi marcado por Rosales, enquanto Ariel Rojas empatou.

O River com Astrada melhorou muito mas continua sofrendo com a falta de regularidade. O time vai muito bem do meio pra frente mas na defesa é um caos. Apesar disso, a evolução é evidente. O lado político do clube parece influenciar também. O ex-jogador, ex-treinador e ex-capitão do time Daniel Passarella é candidato a presidente do clube nas eleições a serem realizadas no próximo mês e já deixou claro que trará de volta ao clube Ramon Díaz, grande ídolo Millonário. Obviamente o ambiente fica complicado para qualquer treinador trabalhar sob essas circunstâncias. Os jogadores vivem também uma incerteza diaria e isso também afeta o desempenho do time. Há muito o que ser feito no River.

Já o Boca aproveitou a fragilidade do quase rebaixado Gimnasia La Plata e goleou por 4 a 0 com dois gols de Insua, um de Gaitán e um de Medel. O time até jogou bem e foi muito mais agressivo do que outrora vinha sendo, mas não precisou fazer muito pra vencer com tranquilidade. Uma grande partida mesmo quem fez foi Insua. Muito mais do que os dois gols, foi uma exibição de gala.

Essa semana, o Boca ficou marcado pelos desentendimentos. Palermo reclamou que a bola não chega até ele. Mouche pediu pra entrar para ajudar na criação, já que Riquelme está machucado. E Ibarra, apagando fogo com gasolina, disse que os jogadores mais experientes tem que ser mais inteligentes ao dar entrevistas. Palermo retrucou que já é bem grande pra que digam o que ele deve falar. O Boca também tem problemas políticos, já que Basile e Bianchi não falam o mesmo idioma, o que acaba dividindo os dirigentes do clube. Uns apoiam Bianchi e outros não abrem mão de Basile. A união parece cada dia mais distante na Casa Amarilla.

De interessante nesta rodada tivemos também o clássico de Rosário entre Central e Newell’s. O Rosário chegou a abrir dois a zero mas permitiu o empate. Todos os gols aconteceram no primeiro tempo. Com o resultado, o Newell’s não pode assumir a liderança e ficou a dois pontos do Banfield, que venceu o Independiente fora de casa por 2 a 1.

A classificação do Apertura ficou assim, faltando quatro rodadas:

Banfield 35

Newell’s 33

Estudiantes 29

Colón 28

Independiente 26

Rosario Central 26

San Lorenzo 26

Velez 24

Boca 23

Lanus 21

A classificação geral, para a classificação a Copa Libertadores (soma de todos os pontos conquistados no ano) ficou assim:

Velez (classificado) 64

Colón 62

Lanus 59

Banfield 58

Estudiantes (classificado) 58

Rosário 55

Newell’s 54

San Lorenzo 50

Huracán 48

Independiente 47

Boca 45

Anúncios

Jogador do Tigre abandona o clube por pressão da torcida

A impunidade das organizadas segue dando seus frutos. Matías Giménez não suportou mais as ameaças da torcida do “Matador” e decidiu não jogar mais no Tigre. O episodio que viveu semana passada abalou o volante saido da base do clube. “Vivi um momento triste, muito feio, que me levou a tomar a decisão. Comuniquei a meu representante, aos dirigentes e em dezembro mudarei de ares. Tomei a decisão pela segurança da minha família, eles são tudo pra mim e não quero que aconteça nada a eles”, explicou Matías.

A realidade é que não jogará mas no Tigre, treinará separado e esperará que chegue um novo clube para o próximo ano. “A decisão eu tomei pensando na segurança da minha família, a pouco tempo fui pai. Tenho dois filhos que realmente valem a pena mais que uma bola”, acrescentou Giménez.

Qual foi a gota d’água? Matías explica: “Na saida do treino eu ia pra casa em uma rua em San Fernando e me emboscaram alguns torcedores, disseram que minha atitude em campo não era boa, que não tinha raça, que não me dedicava nas partidas, foram palavras em alto tom, aconteceu que discutimos um pouco e bom, depois terminou acontecendo algo muito feio. Aconteceu que saiu do controle, mas não vou dar detalhes, já passou e obviamente a única coisa que fiz foi ir falar com meus companheiros, pedir perdão a eles porque não vou seguir o torneio com eles e a comissão técnica que me presentou seu apoio. Entenderam o quanto foi feio o que passei, agora estou tranquilo. Falei com meus amigos e eles me apoiaram em minha decisão, se é o melhor pra mim que eu faça com segurança e não sinta pressão de ninguém. Não sei se alguém fará o mesmo que eu”.

O meia vive em San Fernando e já assegurou que vai se mudar. O medo o único idioma que falam as organizadas. Uma vergonha. “O torcedor do Tigre que realmente me valoriza e gosta de mim, sabe que eu sempre dou tudo de mim. Jogo no profissional desde os 18 anos, promovido em duas oportunidades. Sempre rasguei a alma, tratei de crescer no pessoal e no profissional”, agregou. Não é o único que sofreu ameaças da organizada, Diego Castaño e Martín Morel também sofreram, mas sem chegar ao limite da agressão física.

No mais, deixou claro que os jogadores ajudam a esses torcedores organizados para que possam seguir a equipe no interior do país. “Sempre um ou outro colabora com os torcedores para que viagem as provincias, o do Mundial não tem nada a ver (denuncias surgiram essa semana que dirigentes estão bancando a viagem de vários organizados ao Mundial de 2010), disso os dirigentes se encargam. Sempre juntei moedas para que eles vão e apoiem em todos os lados”, declarou Matías, que agora espera um clube para o fim do ano.

Para o final, deixou um desejo para seus companheiros: “Tomara que os jogadores possam seguir somando, é um grupo excelente com um corpo técnico que melhorou muito, estamos onde estamos porque sempre corremos e demos tudo pela camiseta do Tigre. E uma certeza: não vou mudar de decisão.”

Obs: os jogadores que estão no Tigre são responsáveis por tirar o time da terceira divisão do futebol argentino e levar o time até o vice campeonato nacional em 2007 e 2008. O Tigre é o lanterna do Apertura, mas está longe de lutar contra o rebaixamento.

Boca empata e dá adeus também a Libertadores

Faltando 15 pontos a serem disputados, o Boca ficou a 11 do ultimo time da zona de classificação a Libertadores após o empate de hoje com o Arsenal em Sarandí. Assim, praticamente se encerra um ano digno de se jogar no mar do esquecimento para os Xeneizes.

O Boca começou o jogo melhor e fez o primeiro com Gary Medel, que soltou a bomba pra marcar o primeiro gol do jogo aos 28 do primeiro tempo. O Arsenal equilibrou a partida mas só conseguiu empatar aos 30 do segundo tempo, em gol de falta de Cristian Alvarez.

Neste momento de incerteza e decepção, os jogadores mais cobrados são os experientes. Abbondanzieri é cobrado por levar muitos gols de falta (foi o terceiro neste campeonato). Riquelme, mesmo sem jogar, é cobrado por parte da torcida por não manter a forma física ideal. Coco Basile é cobrado por não colocar a grande esperança pro futuro do clube Pablo Mouche pra jogar. Em fim, as cobranças por resultados são muitas na Casa Amarilla e parece que o Boca não encontra um caminho tranquilo rumo a regularidade. O ano de 2010 será de reestruturação e recuperação do respeito perdido. O trabalho será árduo!

River ressurge e vence Atlético Tucumán

Após um primeiro tempo desastroso, o River Plate deu a volta por cima e venceu bem o Atlético Tucumán por 3 a 1 jogando em casa.

Logo aos 3 minutos do primeiro tempo o time tucumano abriu o placar com Emanuel Giglioti. O River não se encontrava em campo e fez um primeiro tempo sofrível. O Atlético se impôs e poderia ter feito mais gols na primeira etapa.

No segundo tempo, com a entrava de Galmarini o River melhorou. O treinador Astrada também pôs no jogo o baixinho Villalba e ele por sua vez pôs fogo no jogo. E em sete minutos o River virou e matou o jogo. As 24 Gallardo empatou, aos 29 Buonanotte (o melhor em campo) virou e aos 31 Villalba matou o jogo. A partir daí se viu o melhor futebol dos Millionários no campeonato até aqui. O time jogou solto, leve e poderia até ter ampliado. Mas ficou por isso mesmo.

Talvez essa seja a vitória que o time esperava pra ganhar moral e crescer nesse final de ano. O time não disputa mais nada mas é importante ganhar moral pro ano que vem. O River Plate precisa voltar a ser grande e acreditar em si mesmo. Tomara que 2010 seja um ano diferente.

Boca empata em casa com Colón e dá adeus a luta pelo título

Faltando seis rodadas para o fim do Apertura 2009, o Boca Juniors empatou sem gols com o Colón de Santa Fé em casa e praticamente deu adeus as chances de título no campeonato. O Boca ficou 10 pontos distante da ponta da tabela e há apenas 18 pontos em jogo. Ainda que há chances matemáticas, elas são mínimas.

O jogo foi tecnicamente fraco e os dois times pouco criaram. O Boca teve mais chances de gols mas nenhuma clara. O Colón sai agradecido de La Bombonera, afinal o empate deixa o time a 4 pontos do líder e invicto Banfield.

O Boca também praticamente não tem chances de ir a Libertadores 2010. São dez pontos de desvantagem para o último classificado e como já citado, apenas 18 estão em disputa. Sendo assim, como já previsto, teremos uma Libertadores da América sem os maiores clubes da Argentina, já que o River está bem distante da vaga.

River perde mais uma e Chacarita goleia fora de casa

Com dois gols de Joaquín Boghossian o Newell’s Old Boys venceu o River Plate por 2 a 1 jogando em casa e chegou a ponta da tabela. Por outro lado, os Millionários que descontaram com Buonanotte, caíram para a 17ª posição da tabela e sofreram sua sétima derrota no campeonato.

O River teve uma semana atribulada. O treinador Leonardo Astrada afastou Ariel Ortega do elenco e disse que ele só voltará a jogar depois que se submeter a um tratamento sério para se libertar do vício do alcool. Ortega aceitou e descartou a possibilidade de se aposentar.

De todo esse momento do River Plate a única pena que fica é que Diego Buonanotte vai acabar se sacrificando pelo time. É o único foco de luz nas trevas Millionárias e se tem alguns defeitos, como prender demais a bola em alguns momentos e não ter perna direita, eles poderiam ser corrigidos se o clube vivesse um bom momento. A verdade é que o elenco do River é muito fraco.

Já o Chacarita surpreendeu o Lanus que estava invicto a sete partidas e goleou a equipe do treinador Luis Zubeldía por 3 a 0 na casa do adversário. Os gols do Chaca foram marcados por Christian Milla e Facundo Parra que marcou dois.

Desde a chegada do treinador Fernando Gamboa o Chacarita vem jogando muito bem. A diferença é que desta vez não deixou o adversário jogar com uma marcação muito eficiente e não desperdiçou chances de gol, como aconteceu no jogo contra o Argentinos.

O Chacarita segue em franca ascenção e já vê uma luz no fim do túnel. Depois de um péssimo início, o time já chega agora a 15ª posição.

Hoje o Apertura mostra a seguinte classificação:

1 Newell`s 29
2 Banfield 26
3 Colón 24
4 Vélez 24
5 Estudiantes 23
6 San Lorenzo 23
7 Independiente 23
8 Argentinos 21
9 Rosario Central 21
10 Boca 18
11 Lanús 17
12 Arsenal 17
13 Godoy Cruz 13
14 Atlético Tucumán 12
15 Chacarita 11
16 Gimnasia 10
17 River 10
18 Huracán 9
19 Racing 8
20 Tigre 5
Hoje jogam San Lorenzo e Banfield, Estudiantes e Velez e Boca e Colón. Amanhã jogam Huracán e Arsenal.

 

River melancólico, Boca sem sorte e Chacarita incompetente

O River Plate foi derrotado em casa pelo seu carrasco (pelo menos nos ultimos anos) Lanús por um a zero. O gol do time do Sul foi marcado por Velasquez. Aliás, um golaço de falta, no ângulo. Coisa linda. O River jogou muito mal e o Lanús apenas administrou o resultado. O time de Leo Astrada não teve efetividade, errou passes, marcou mal e poderia ter perdido de mais.

Já o Boca Jrs (sem Riquelme que só volta daqui a 45 dias por conta de uma lesão no tendão do pé) foi a Rosário e foi derrotado por 2 a 1 pelo Central. Os gols do time de casa saíram em falhas do goleiro Abbondanzieri. A curiosidade é que foi lá que El Pato se formou e este é o time de seu coração. O primeiro gol foi marcado por Mendez de falta. O gol foi irregular, já que na jogada em que o juiz marcou a falta o jogador rosarino estava impedido.

O Boca empatou ainda no primeiro tempo em um golaço de falta de Krupoviesa. A bola ainda tocou no travessão antes de entrar. O Boca ainda teve a chance de ir para o intervalo vencendo em belo lance de Palermo que recebeu cruzamento de Chavez, matou no peito e bateu de direita pra grande defesa do goleiro local.

No segundo o tempo o jogo ficou completamente aberto e qualquer uma das equipes poderia ter matado o jogo. A chance do Boca veio com Gaitán que recebeu na área sem goleiro e chutou em cima do zagueiro. O castigo veio aos 30 minutos com Castillejos. Ele recebeu na intermediária e foi driblando até a área Xeneize. O goleiro do Boca saiu um pouco prevendo o cruzamento, mas o jovem atacante do Rosário Central tocou no cantinho, entre a trave e o goleiro.

No último minuto de jogo Morel Rodriguez ainda mandou uma falta no travessão, só que em vez de bater na trave e entrar, como no gol do Boca, essa bateu e saiu, pra desespero dos Xeneizes.

O Chacarita jogou contra o Argentinos e fez um primeiro tempo primoroso. Poderia ter goleado mas conseguiu fazer apenas um gol Grabinski, aproveitando bate-rebate na área. O atacante Facundo Parra perdeu um gol daqueles pra ir pro Inacreditável Futebol Clube do Globo Esporte. A um metro da linha de gol, ele recebeu cruzamento da esquerda e conseguiu mandar no travessão.

No segundo tempo o Argentinos Jrs voltou melhor e logo empatou. Após bola rebatida da direita, Pavlovich cabeceou da meia lua e acertou o cantinho do goleiro Funebrero. O Chaca respodeu em seguida com um belo gol do mesmo Parra que perdeu o gol inacreditável. Mas o Argentinos pressionou muito e após cobrança de escanteio, Mauro Bogado empatou pegando a sobra de fora da área. Resultado justo pela incompetência do Chacarita e pela raça do Argentinos.