Início > Brasil > A realidade é dura para alguns

A realidade é dura para alguns

Diego Tardelli é um bom jogador. Não é um craque, mas também não é um perna de pau. Quando quer joga muito! Mas quando empaca não há quem faça ele sair do lugar. No SPFC jogou muito por duas vezes. Uma assim que subiu ao profissional e fez dupla de ataque com Luis Fabiano em alguns jogos e outra durante os primeiros seis meses de Leão no tricolor. Depois sumiu.

Na Holanda não se firmou e depois de mais algumas idas e vindas do tricolor foi definitivamente vendido ao Flamengo. Começou arrebentando. Fez gol de titulo e tudo. Mas acabou vendido no fim do ano.

Mais uma temporada se inicia. Diego Tardelli agora está no Atlético Mineiro. O time é arrumado. Ai eu vejo os gols do sábado e vejo Diego Tardelli fazendo gol de falta, dando passe invocado, comandando o ataque do Atlético. Ai fica a pergunta: estavam SPFC e Fla errados?

Não. Estavam certos. O negócio é que fica claro a diferença enorme de elenco entre os grandes clubes do Brasil e o resto. Cruzeiro, SPFC, Palmeiras e Internacional tem elencos infinitamente superiores ao resto. Talvez Corinthians, Santos, Flu, Fla e Grêmio tenham bons times, mas em questão de elenco os citados acima estão a alguma distancia.

Diego Tardelli reina no CAM, porque o time e o elenco são de regulares pra bons. Ele reinaria no Atlético Paranaense, no Goiás, no Botafogo, no Vitória. Porque são times regulares com lapsos de boas equipes.

O pior de tudo, é que isso é muito triste. Até alguns anos, tinhamos 12 times grandes no Brasil com reais chances de titulos em qualquer campeonato disputado e ainda surgiam as surpresas de vez em quando, como o São Caetano, Bangu, Bragantino e etc.

Mas a distancia está ficando evidente. Basta que algum dos grandes clubes abra a boca para vender seus refugos, que os médios clubes brasileiros se descabelam por eles. Exemplos temos aos montes.

Jadilson, que não deu certo no SPFC e no Cruzeiro e se destacou no Goiás, foi para o Grêmio. Renan, que não se destacou no Cruzeiro e no SPFC, foi para o Vitória. Preá, contratado como revelação pelo Palmeiras, está no Atlético Paranaense.

E por outro lado, esses times medianos acabaram se tornando fornecedores de atletas para os clubes que se firmaram como grandes no Brasil. Éder Luiz, titular absoluto e incontestável no Atlético Mineiro, passou uma temporada no SPFC. Keirrison, revelação máxima do Coritiba está no Palmeiras. Joilson e Juninho do Botafogo, acabaram no SPFC em 2008. E assim por diante.

Como são paulino, eu acho bom porque meu time se firma cada dia mais entre os grandes e a distancia aumenta a cada ano. Como amante de um futebol competitivo e bem jogado eu fico muito triste em ver que times como o galo, que até alguns anos atrás sempre chegava nas competições nacionais, estão agora disputando vaga na Sul-americana.

A realidade é dura, mas é verdadeira.

Anúncios
Categorias:Brasil Tags:
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: